Akwavita - O Espaço da Saúde Integral
Pesquisar no site:  Pesquisar 
Acesse a página inicial da Akwavita  Fale Conosco - O seu canal de comunicação com a Akwavita  Mapa do Site
Terapias Naturais  Voltar
Terapias Naturais e Holísticas
  Marque aqui sua consulta
   Maiores informações

  Terapias Naturais e Holísticas  

Terapia Ortomolecular

Oligoelemento vem da palavra grega "oligo", que significa "pouco". São seus sinônimos: elementos traços, elementos vestigiais e elementos menores, ou seja, pequena quantidade de elemento. São substâncias que se encontram em estado natural no organismo sob a forma de vestígios de diversos metais e não-metais, catalisadores das funções enzimáticas. Seu Slogan:"Pequenas Doses Grandes Efeitos".

A ortomolecular visa restabelecer a química do nosso corpo, visto que nos tempos atuais, devido às alimentações cheias de agrotóxicos, hormônios, corantes, conservantes, refino; não produzimos mais as substâncias, com a mesma qualidade que o nosso corpo precisa. Nós somos aquilo que comemos, se todas as células tem um tempo de vida, precisamos ter matéria prima boa para o nascimento de novas células, quando isto não ocoree começamos a ficar doentes.

Devido a isso vemos hoje doenças de idosos ocorrendo em jovens, como por exemplo: Pressão alta, colesterol e triglicérides alto, fadiga crônica, disfunções tireoidianas, cabelo branco precocemente, problemas circulatórios, etc. O desequilíbrio vai se tornando tão grande que muitos problemas emocionais como síndrome do pânico, depressão, neurose de angústia se instalam e não se percebe a relação com alimentação inadequada; assim como a fibromialgia, fadiga crônica, quedas de cabelo, problemas circulatórios, celulite, gordura localizada.

Muitos destes casos tem como causa a intolerância alimentar (tipo diabete que é intolerância à glicose), que é pela quantidade que se consome um alimento, não é como a alergia que é pela qualidade (comemos e já temos a reação). A intolerância vai se instalando aos poucos, por isso passa desapercebida, pois a pessoa está tão acostumada com aquele alimento que nem imagina que pode ser o que lhe faz mal e, geralmente, é aquele alimento do qual mais gosta (como trigo, leite, açúcar). Este excesso vai consumindo o órgão que fabrica a enzima que metaboliza o determinado alimento, e por conseguinte, a enzima deixa de ser produzida e o alimento passa a ser depósitado como toxina causando os sintomas acima, dentre outros. Os sintomas que as pessoas percebem mais são os gástricos e intestinais, o restante nem imaginam. É impressionante como apenas ao tirar o leite e derivados, dores violentas pelo corpo, cólicas menstruais, acabam.

Nosso corpo não está acostumado à estas mudanças da indústria alimentar, visto que ocorreu principalmente no século passado. A nossa memória celular é de milhões de anos, onde os alimentos naturais é que realmente nos faz bem. Esquecemos que somos natureza e que pecisamos é deles ao invés dos alimentos altamente industrializados.

Tudo no nosso corpo depende dos alimentos, é a nossa única fonte de matéria prima, inclusive os hormônios e neuro-hormônios, daí a importância de uma alimentação natural, com produtos integrais, grãos, sementes oleaginosas, frutas, verduras, preparo dos alimentos de uma forma mais natural.

A ortomolecular usa o "Oligoelemento", que vem da palavra grega "oligo", que significa "pouco". São seus sinônimos: elementos traços, elementos vestigiais, ou seja, pequena quantidade de elemento. Ou seja "pequenas doses para grandes efeitos" - entram apenas como catalizadores das reações químicas, usando a química dos alimentos mesmo para se produzir o que o corpo precisa. Estes oligoelementos, muitas vezes estão escassos no nosso corpo e por isso as reações não estão se processando como deveriam, gerando os sintomas.

São substâncias que se encontram em estado natural no organismo sob a forma de vestígios de diversos metais e não-metais, catalisadores das funções enzimáticas.

Sua presença é responsável pela realização dos metabolismos, embora sem uma ação direta, mas fornecendo a energia às enzimas para ocorrer a reação bioquímica.

Essa ação regula e permite as trocas metabólicas graças às quais o corpo terá a possibilidade de se restabelecer em seu próprio equilíbrio biológico.

A Oligoterapia não se permeia pela estado quantitativo e sim pelo qualitativo de transformação dos elementos em íons.

A atividade dos Oligoelementos em nosso corpo pode ser perturbada por:

  1. Ritmo de vida;

  2. Poluição;

  3. Ruídos;

  4. Nutrição desequilibrada;

  5. Emoções e pertubações psíquicas;

  6. Absorção de medicamentos e substâncias quelantes (inibidoras);

  7. Disfunções que, em sinergia, provocam outras disfunções.

Dentre todos esses fatores, cuidado especial deve ser dado à alimentação.

Na verdade, o tratamento com os Oligoelementos deve ser acompanhado de uma dieta alimentar, evitando-se o uso de gorduras e carnes vermelhas, preferindo verduras cruas a cozidas e ingerido maior quantidade de alimentos alcalinos (cerca de 80%) do que ácidos (cerca de 20%).

Dr. Jacques Ménétrier é considerado o "Pai da Oligoterapia", chamou a Oligoterapia como "Medicina das Funções " (funcional).

Escreveu dois livros: "Terreno Constitucional" e "Disposição Individual às Doenças"

Ele seus colaboradores durante mais de trinta anos realizaram pesquisas diretas com seus pacientes em hospitais, e que nos permitem tirar conclusões:

  1. Há diateses que agrupam e manifestam em um determinado número de sintomas;

  2. Diatese, entidade etiológica da qual tiramos a prova pela ação plurisintomática de um oligoelemento ou de um grupo do mesmo, sobre ele mesmo;

  3. Um conjunto de oligoelementos é específico de uma diatese e não de um sintoma; esse conjunto permite modificar perturbações constatadas sobre o terreno;

  4. A quantidade ativa dos oligoelementos é da ordem de milionésimos de grama;

  5. A ação do oligoelemento é reguladora, equilibrante e adaptada ao caso dos seus fatores psíquicos e fisiológicos; 

  6. O método não possui nenhuma toxicidade (não é tóxico), portanto não há efeitos secundários negativos;  

Na Oligoterapia estuda-se, em primeiro lugar, o "terreno" doente ou com tendências a determinadas doenças; então, ela equilibra os terrenos e com isso elimina os sintomas.

Há cinco formas de "Terrenos", a saber: Alérgico, Hipostênico, Distônico, Anérgico e Síndrome. Quando a pessoa começa a ter sintomas das diáteses mais avançadas, significa que está mais doente ou “envelhecido”. Onde será classificado, e o tratamento será em cima da diátese mais desequilibrada (Diatese tem sua origem etimológica na palavra grega "diathesis", significando "disposição para"). Toda a avaliação é através de um questionário, que permite verificar qual o desequilíbrio pelo qual a pessoa está passando.

©2017 Net4all
Todos os direitos reservados